Bob Dylan, “Another Self Portrait”: retratamentos

Unknown“Self Portrait”, o álbum que Bob Dylan editou em 1970, é oficialmente considerado como “o menos bom” dos primeiros dez anos de discos daquele tipo que mudou a música popular para sempre. Isto quer dizer que qualquer pessoa que diga “o ‘Self Portrait’ é que não, há bem melhor” pode fazê-lo sem qualquer receio, mesmo que nunca tenha ouvido as canções. Provavelmente porque as que vieram antes foram mais surpreendentes, mais criativas, menos confortáveis, mais prontas a fazer história. No entanto, o período que rodeou a criação de “Self Protrait” – e que incluiu o anterior “Nashville Skyline” e o seguinte “New Morning” – é tão relevante e decisivo no percurso de Dylan como todos os outros. Este novo capitulo das Bootleg Series reúne versões, outakes, gravações ao vivo e demos que só procuram explicar que até quando o génio parecia não se esforçar, era difícil não ser brilhante, com as suas composições ou os contos de outros que tornou quase seus. Entre a folk, a country e o rock’n’roll, um documento sem mácula, dois discos perfeitos e nós sem desligar o play – e a ponderar voltar a “Self Portrait”, resolvamos essa questão.

publicado no i
Esta entrada foi publicada em Bob Dylan, Discos, Música. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s