Mirel Wagner: uma mão cheia de segredos à guitarra e chega

Mirel Wagner não consegue fazer o som do “th” inglês, língua no meio dos dentes não é com ela. A Finlândia tramou–lhe o sotaque, mas só em modo de discurso pausado, que às cantorias nada falta. “É um pouco como os gagos”, diz-nos a cantora, habituada a explicar os seus handicaps a quem lhe faz perguntas. “É o charme finlandês, gosto disto.” Mas Mirel, não tinhas nascido na Etiópia? “E é verdade, mas muito pequena fui adoptada por finlandeses. Ou seja, nada de traços africanos na minha música, estas canções não têm consciência geográfica.” Confere, Mirel Wagner está apenas preocupada com a sua própria existência. E canta-o num inglês mais que correcto.

O álbum que motivou o nosso telefonema foi editado o ano passado – nada que lhe roube encanto. Primeiro no Norte da Europa, mais tarde a tentar fazer caminho pelos países vizinhos. Já no início deste ano chegou ao Reino Unido, despertando maior mediatismo. “Reparei que algumas revistas importantes falaram do álbum e gostaram muito. Não estava à espera. Mas já tinha acontecido na Finlândia, quando percebi que muita gente ouvia as minhas canções.” É de aproveitar o momento e pedir explicações sobre geografia musical, de acordo com Mirel Wagner. “Por aqui, o que faz mais sucesso é rock pesado, o metal. Não há nada que lhe faça concorrência. Se estivermos a falar de cantautores melancólicos então…”

Ou seja, a artista concorda com o que dizem sobre o seu trabalho: negro, triste, denso. “Como explicar… Nestas canções sou eu com uma guitarra acústica, nada mais, com os meus versos e as minhas manias. Não conheço ninguém que faça isto desta forma e que acabe a cantar hinos à natureza e ao sol, que bonito que é o sol.” Assunto quase encerrado – a própria da Mirel se atira às suas memórias para continuar a explicar-se. “Sempre gostei de música de gente adulta, com voz forte. Leonard Cohen, Nick Cave… Claro que não penso neles quando estou a compor. Mas já pensei muito e fugir a isso é difícil.”

É isso tudo. Canções secas que nem um osso, com tudo à mostra. A fórmula é simples, mas daí até se deixar explorar nas doses certas vai uma boa dose de mão-de-obra qualificada para a função. Mirel teve tempo para explorar tudo na medida certa, para se desfazer em noites perdida à guitarra, com bloco de notas ao lado para que nada ficasse esquecido. “Comecei a tocar guitarra aos 13. Bom, a fazer uns acordes, melhor dizendo. Mas só com isso deu-me logo para fazer canções. Antes da música tinha a mania da pintura mas deixei-me disso. Além de não conseguir exprimir-me como de facto queria, percebi que não tinha grande jeito para o assunto.”

Mirel tem 23 anos. Contas feitas, meteu–se nestas andanças há dez. E muitas das canções que escreveu no início encontraram lugar neste álbum (nove canções, de um total de 12, tudo gravado em dois dias). “As canções não têm prazo de validade. Se forem melancólicas, melhor ainda”, diz-nos. “Vejamos… é como um bom prato, experimentamos e não sabemos porque é que gostamos mas aquilo não nos sai da memória.” Melancolia como coisa de bom tempero, portanto. “Lá por cantar desamores e desencontros não quer dizer que seja uma pessoa depressiva.” Claro que não, Mirel. Aliás, deste lado do telefone há bem mais cores nesse discurso do que esperávamos. “Mas tem calma, não vás escrever no jornal que sou uma pessoa eufórica. Diria que estou numa fase… estável.” Só falta o estrelato indie para que tudo fique realmente bem. A artista acha que não: “Estrelato indie? Daquele que aparece nos blogues? Não sei não, só com uma guitarra não sei se chego tão longe.” Vai uma aposta?

(publicado no i)
Anúncios
Esta entrada foi publicada em Música, Mirel Wagner. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s